Sistemas de Criação


Este artigo tem como objectivo analisar um pouco os diferentes sistemas de criação de ovinos e bovinos. Para facilidade de escrita, iremos direccionar o texto para o gado ovino.


Criação em Raça Pura

Criação em raça pura consiste num rebanho composto por carneiros e ovelhas da mesma raça, sendo esta reconhecida por as entidades competentes. Se um dos objectivos destes criadores é a contínua e melhoria genética da raça em questão e a realização de trocas comerciais com outros criadores da mesma raça, outro dos grandes objectivos destes criadores é fornecer uma genética superior aos rebanhos comerciais, cujo produto final é o borrego para abate.



Criação de Animais Cruzados

O animal cruzado resulta do acasalamento de carneiros e ovelhas de diferentes raças puras ou ainda de diferentes composições raciais. No entanto, isto não significa que se realize uma mistura indiscriminada de raças mas, em vez disso, corresponde a uma utilização sistemática de diferentes recursos para produzir animais cruzados de um tipo específico. O cruzamento é usado maioritariamente em rebanhos comerciais e a maioria dos cordeiros para abate, são resultado desses mesmos cruzamentos. A produção de animais cruzados oferece essencialmente duas vantagens distintas:


a) heterose;

b) complementaridade.


A heterose ou vigor híbrido, corresponde a um desempenho superior de um descendente em relação à média dos seus ascendentes. Ou seja, matematicamente, o vigor híbrido é a diferença de desempenho entre os animais cruzados e a média do desempenho dos seus pais de raça pura. De um modo geral, os indivíduos mestiços têm tendência a ser mais vigorosos, férteis e até a apresentar melhores velocidades de crescimento.

A segunda maior vantagem do cruzamento encontra-se na capacidade de utilizar a complementaridade de raça. Nenhuma raça se destaca por apenas ter características positivas, todas têm pontos fortes e fracos. Assim, a produção pode ser optimizada tentando maximizar os pontos fortes e minimizar os pontos fracos da ascendência.

É de realçar que de um modo geral, os traços considerados de baixa hereditariedade, tendem a responder bem à heterose. Consegue-se assim melhorar significativamente um rebanho em apenas uma geração de cruzamentos.


Existem vários sistemas de cruzamento que são usualmente utilizados, sendo os mais usuais o cruzamento terminal, o rotacional, o roto-terminal, de absorção e o cruzamento com vista a obter uma nova raça.

Cruzamento Terminal

Num cruzamento terminal, todos os descendentes cruzados são vendidos para abate e as borregas de substituição devem ser compradas ou produzidas diferenciadamente no próprio rebanho. Num cruzamento terminal utilizando duas raças puras, obtemos um produto F1, cruzamento de primeira geração, maximizador do vigor híbrido. No entanto, podemos promover as ovelhas F1 ao rebanho e cruzar as mesmas com uma terceira raça pura, obtendo assim o produto final para venda.

Cruzamento Rotacional

O cruzamento rotacional implica a utilização de duas, três ou mais raças e consegue manter bons níveis de heterose. Exemplificando o cruzamento de rotação com recurso a três raças, teremos de, após obtermos uma ovelha F1, cruzá-la com uma terceira raça e, posteriormente, utilizar uma rotação sequencial com as três raças em questão. Concretizando, podemos realizar o cruzamento entre as raças Charolês X Mouton Vendéen e as fêmeas F1 juntá-las a um carneiro Suffolk. Posteriormente voltaremos a cruzar as fêmeas de reposição com a raça Charolês, de seguida utilizaremos Mouton Vendéen e novamente Suffolk. As ovelhas serão assim cruzadas com carneiros da raça com que estão menos relacionadas geneticamente.

Cruzamento Roto-Terminal

O cruzamento roto-terminal executa o cruzamento terminal para produzir cordeiros de mercado e realiza o cruzamento de rotação para criar as borregas de substituição. Assim, enquanto as melhores ovelhas do rebanho são utilizadas para gerar as referidas borregas, as restantes ovelhas são utilizadas para produzir borregos para abate.

Cruzamento de Absorção

Cruzamento de absorção consiste em utilizar carneiros de uma raça pura no rebanho original e repetidamente nas fêmeas de substituição com o objectivo de alcançar um rebanho indistinguível da raça pura dos carneiros.

Cruzamento com vista a obter nova raça

Após definidas as raças e cruzamentos a desenvolver obtém-se uma população base que será posteriormente gerida como um rebanho de raça pura. Chegados a este ponto, o principal objectivo será o aumento dos animais com os cruzamentos e características pretendidas. Esta é a forma como muitas novas raças são criadas.




Referência Bibliográfica:

http://www.sheep101.info/201/breedingsystems.html


#SistemasdeCriação

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

HERDADE DA COMENDA GRANDE